contenção

De tocar te transmuto em fogo

Contenho

Esfrio as palmas

Escondo no peito

Descruzo os sonhos que já é hora

de pousar neste vasto descampado

Desembarco

Sem arder

Sem brotar

Apenas fico

Quando atrás encaixa a coluna

Perco a frente

Só tempo

Erosão sendo

De cavar um oceano

Pra sempre expondo

Nada.

 

São Paulo – 11/08/2012

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: